sexta-feira, 24 de junho de 2011


Último dia. Confesso que não me sinto ansiosa nem nervosa. Ai, é tão bom sentir meu bebê mexendo aqui... Só em pensar que não vou mais ter essa sensação... Claro que quero que ela chegue, mas de certa forma, sei o trabalho que dá. rsrsrsr Acho  que quero adiar isso.
Nesse momento ela tá agitada, se mexendo muito, parece que dando cambalhotas.
Amanhã estará chegando ao mundo. Está marcado às 7 da manhã. Às 5:30 estarei saindo de casa. O parto será no Hospital das Clínicas de Niterói, com DR. Mônaco e minha mãe vai me acompanhar no parto.

Bem, orem por mim, sei que tudo vai dar certo.
segunda-feira, 20 de junho de 2011
Gente, reta final!!!!! DIA 25/06/2011, minha cesária. Era dia 23, foi adiada.
Não estava ansiosa antes, mas agoraaaaaaa!!! Aiiiiiiii!!!! Muitas dores!!!

Estou com um formigamento na perna direita que

 vai virando uma queimação. Parece que os nervos
 vão arrebentar a qualquer momento. Aí fico com
 a coxa meio anestesiada. Na hora de me virar na 
cama, nossa!!! Uma dor terrível. A mão direita 
também fica dormente o tempo todo. Que incômodo.
 Ai, Anninha, mamãe tá te esperando. 
MAS pode vir na hora certa, tá??
quarta-feira, 15 de junho de 2011

Mãe nos carrega no ventre,

Sente a vida dentro dela,

Nossos movimentos crescendo,
Desconfortos provocando,
Mesmo assim espera paciente,
O doce momento

Em que estivermos em seus braços.
Acalentando-nos em seus seios,

O alimento perfeito recebemos,

Junto dele vem o amor incondicional,
A força de um sentimento,
Que só brota do amor de mãe,
Que sente os nossos lamentos,
E nos aconchega em seus braços maternos.

Mãe, laços eternos nos une,

Nenhum desacerto nos desune,

Porque aquele que tenta anular esse amor,
Não tem força suficiente,
Para esse efeito maldoso conseguir,
Porque o amor materno,
Foi criado por Deus que governa o Universo.


Marilza Pereira Calsavara





Tenho pensado muito no Sr. "Pai", aliás não sei se em algum momento deixei de pensar, seja com raiva ou saudades. Escrevi mais uma carta pra ele, essa vou entregar. Amanhã, provavelmente. Não entendo mesmo porquê as pessoas viram as costas pra gente, nos esnoba, nos trata com indiferença e ainda assim nós pensamos nelas ainda com saudades, com vontade de um reencontro, com tristeza por não estar por perto. Porém, sei que vai ser difícil deixar de pensar assim com um bebê dele na barriga, ainda mais depois que nascer. Como olhar praquela criança e não lembrar de "como foi feita" e de "com quem foi feita" ??? Queria uma fórmula.


Mesmo assim, acho que não sou uma pessoa muito ajuizada. No meu juízo perfeito nem deveria querer pensar nele, muito menos falar nele e deveria considerar os sonhos que tenho com ele, como pesadelos. Como antes, que eu nem queria registrar minha filha no nome dele e nem aceitar pensão.


Enfim, passei só pra dar uma pincelada, afinal esse blog é como um diário de uma mãe/mulher.
Na sexta tenho consulta. A cesária já está marcada, mas ainda não sei a hora.
A pintura do meu quarto ainda não terminou, na verdade tá dando mais trabalho do que imaginamos. Eu pintei a parte da janela de cor lilás, amanhã vou dar outra demão, mas já tá lindo. As prateleiras já estão compradas, a janela eu pintei, a porta já foi envernizada. Não vejo a hora de colar a faixa decorativa. Linda, linda, linda!!

domingo, 12 de junho de 2011
Uma visita rápida ao blog para deixar as últimas notícias. Na verdade, estou achando muito difícil esse último mês de gravidez. Nossa, como estou pesada, dolorida, dormente, nesse último mês. Ah! E inchada!! Pra levantar da cama é um suplício; pra me virar, um martírio. Uma das coisas desagradáveis da gravidez. E pra levantar de madrugada pra ir ao banheiro??? Mas falta pouco e sei que até disso vou sentir falta. Adoro sentir minha Anna mexendo, exceto quando ela parece mexer no meu cordão umbilical. Que nervoso que dá. Mas que bom que foi só no último mês, não inchei antes. Minhas mãos amanhecem dormentes e doídas. A pressão não aumentou, continua baixinha. Coisa feia de falar aqui, mas já me depilei e vou mantendo até lá. Não quero, definitivamente, ninguém me depilando no hospital.


Bem, a pintura do meu quarto tá quase pronta, acho que amanhã acabamos. Daí vou colar a faixa decorativa, comprar as prateleiras, o lustre e montar o berço. Vou começar agora a lavar as roupinhas do meu bebê, não quis lavar antes pra não encher de poeira. Tô ansiosa pra ver tudo arrumadinho esperando minha pequena princesa.


Acreditem: Até hoje, uma hora ou outra, me pego pensando: Ei, estou grávida e a criança já vai nascer. Como assim, a ficha não caiu ainda? Não!
Vou ser mãe! MÃE!!  Ainda tão dependente da minha mãe. E pior: Vou ser MÃE SOLTEIRA. E PIOR AINDA: Ainda gosto do 'pai', depois dele ter feito o que fez.
Mas especialmente neste dia 12 de junho, fiquei relembrando o dia dos namorados do ano passado, quando eu e ele nos beijamos e depois começamos a namorar. Fizemos algumas coisas legais juntos, que ficaram na minha memória e me fazem ter vontade de tê-lo por perto.
UM ANO DEPOIS. Um ano e dez dias depois desta data memorável, vou ter um bebê dele. E ele não aceita. Tenho imensa vontade de ficar cara-a-cara com ele e perguntar o porquê disso tudo, por que ele não ficou mais próximo, já que não tinha como voltar atrás?  Queria saber se em algum momento ele gostou de mim de verdade ou ficou comigo só pra não ficar sozinho? Tantas perguntas. Nenhuma resposta.
Será que isso vai mudar de alguma forma depois?? Mesmo que não haja um namoro reatado, será que haverá uma relação pai-filha?


Ah, vou dormir. Esses pensamentos me fazem mal. Escrevi uma carta pra ele, mas nem sei bem o endereço, nem sei se vou enviar, como todas as outras que escrevi e não tive coragem de enviar.


Beijos a todos.
quarta-feira, 8 de junho de 2011

Muito bom estar em casa. Comendo no prato e não em marmita, cochilando de tarde, sentada em frente ao meu pc e não o da empresa, vendo filmes que estou baixando na minha velox (Até que enfim!!!!!!), sem pressa de fazer nada, fora que não tenho clientes enchendo a porcaria do meu saco com aquela ignorância que aumenta a cada dia mais em nosso meio.
Tenho que comprar as últimas coisas que faltam, mas kd a coragem de sair de casa??
Prateleiras, lustres, absorvente para seios, absorvente noturno, camisola, papel contact para os móveis que vão deixar de ser azuis para serem lilás.


Mais uma vez a pintura do quarto foi adiada e eu não sei mais o que fazer. Disse meu primo que viria hoje para dar uma força, mas já pedi a 3 pessoas diferentes para fazerem o serviço e me enrolaram esse tempo todo. Tudo bem, não tenho tanto dinheiro assim para apagar, mas poxa, porque ficam me enrolando? Mais fácil e bonito falarem logo que não vão fazer e pronto!! Saco!! Um saco depender das pessoas. Se eu soubesse emassar, já tinha feito isso, com barriga e tudo!!
terça-feira, 7 de junho de 2011


No domingo, dia 05, minha mãe ligou pro SR. "pai". Avisou do parto, que está marcado pra dia 23 de Junho, pra ver como será o esquema da pensão. Muito chato isso. Não queria pedir nada a ele, queria que ele mesmo se pronunciasse e quisesse fazer parte da vida da minha filha. Nossa filha. Não fiz sozinha. Mas parece que ele se nega a acreditar.

Ele disse que vai vir aqui em casa pra combinar diretamente com minha mãe e pediu o número celular dela, claro, pra não correr o risco de ligar aqui pra casa e ouvir o MEU alô; Até parece que eu fico ligando pra ele pra pedir as coisas, pra encher o saco, pra fazer barraco. Aff. Não sou dessas e nem serei. Mal sabe ele que eu me ferro todinha, mas se tiver que me virar sozinha vou fazer o que tiver que ser feito pra não pedir nada a ele.

Ah, deixa pra lá. Essas coisas mexem comigo, é claro, me deixam triste, mas não tenho raiva dele, não. Depois que passei a sentir minha filha se mexendo dentro de mim, as coisas que ele faz parecem não fazer sentido e não me abatem como antes.
 SÓ ficou a saudade, a vontade de formar uma família, o desejo de que ele corra atrás do tempo perdido. Mas se não acontecer, tudo bem. Um dia, eu vou ver quem perdeu nisso tudo: Se eu, ele ou minha filha, que já é tão amada pelas pessoas.

Confesso que não fiz muito bem em colocar as fotos dele aqui nesse blog como slides, toda vez que entro aqui, o vejo e meu coração aperta. Não me faz bem vê-lo tão longe, tão frio, tão indiferente. Ele vacilou, continua vacilando, mas eu gosto dele, oras... E devo isso à criança que tenho dentro de mim, porque já o teria esquecido se ela não estivesse aqui sempre me lembrando da existência dele. E vai me lembrar muito mais quando nascer.

Mas não vou tirar as fotos, não. Deixo-as aí, como o deixo livre pra fazer suas próprias escolhas, escolhas estas pelas quais ele vai dar conta um dia e espero que não seja com tristeza...

Beijos a todos.




Meu chá de fraldas finalmente aconteceu. Dia 4 de junho, acompanhado de uma chuva que não caía havia muitos dias e que depois de sábado não caiu de novo. Pois bem. Ossos do ofício, Lei de Murphy que sempre acontece comigo.


Mas foi legal. Eu mesma decorei (Como sempre), fiz docinhos, bolo, torradas, lembrancinhas, bolo de fraldas, etc. É claro que me pintaram, me avacalharam, mas eu gostei. Tirei poucas fotos, mas já dá pra ficar arquivado o dia do chá de bebê da Anninha (Ou seria Bia?).


Ganhei poucas fraldas, o que está me preocupando muito, pois não estou pensando em voltar ao trabalho tão cedo e deixar minha pequena em casa com 3 meses tomando leite enlatado.
Ganhei muitos presentes, roupas, que logo logo não serão utilizadas, pois bebês crescem muito rápido. E as fraldas? NÃO VÃO DAR NEM PRO CHEIRO.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Bem, estou bem. Agora mais ainda, porque entrei de licença e estou em preparativos pro CHÁ DE FRALDAS DA ANNA BEATRIZ. Será no sábado.


Em relação às sensações, minha falta de ar diminuiu, ficou mais o cansaço, dor nas pernas, na coluna.
Minha pressão sempre foi muito baixa e continua, passei mal algumas vezes por isso.
Nunca vi bebê mexer mais do que o meu, claro que nunca vi, rsrsrsr. Mas gosto, adoro, fico feliz e queria que a gravidez demorasse mais pra eu sentir minha pequena no meu ventre.
Mas, por outro lado, fico ansiosa às vezes por querer ver logo seu rostinho e cuidar dela.


Não há dúvidas de que durante esta semana eu estou sentindo bastante desconforto devido ao tamanho da barriga e aos incômodos que a gravidez proporciona. Na hora de dormir, então!!
Mas mesmo assim, gosto de estar grávida.



Além do desconforto, eu também estou sentindo um pouco de receio em relação ao parto. Só de pensar no parto fico nervosíssima, pensando na anestesia então! 
Me preocupa muito com a hora certa do parto, porque às vezes tenho umas sensações que me trazem a dúvida: Será que essa garotinha vai esperar a hora certa???
A falta que o "pai" me fazia, só aumenta. Tenho medo de minha pequena também sentir falta de um pai quando vier ao mundo. Queria estar com ele, compartilhando isso tudo, toda essa felicidade e as dificuldades também.
Enfim, hoje tenho consulta, tenho que me apressar, pois ainda tenho muita coisa pra fazer. Meu quarto? Nem sinal de pintura na parede. 
Beijos da mãe.

Receba atualizações no Email.

Pesquisar sobre

Quem sou eu

Minha foto
Aos 34 anos, sagitariana com ascendente em capricórnio (discordo, mas fazer o quê?!), do Rio de Janeiro (com louca vontade de morar num lugar tranquilo), estudante de psicologia, mãe e pai da pequena Bia, de 5 anos. E esse blog fala da nossa trajetória.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.